sexta-feira, 31 de julho de 2009

Ele era Sir, mas também era, simplesmente... Bobby!

Nós que não o conhecíamos pessoalmente era esta a ideia que tínhamos dele. Uma pessoa que conquistou o mundo do futebol, mas não só, sem deixar de ser simples, sem deixar de ser dos nossos!
Esteve no Sporting e era respeitado pelo Benfica, saiu para o Porto e era respeitado pelo Sporting e por todos outros.
No seu país natal era do Newcastle, mas sempre bem visto por todos até chegar à selecção e ao Palácio de Bukingham onde foi ordenado Cavaleiro da Coroa Britânica, passando desde aí a ser "Sir".
Morreu mas deixou um legado impressionante que deveria fazer escola entre os protagonistas do futebol, com um fair-play natural que deveria ser a inveja de todos os treinadores.
Ninguém é eterno mas alguns perduram mais. Sir Bobby Robson perdurará seguramente por muito tempo.

6 comentários:

aNNóNNimo disse...

Um SENHOR!
No futebol e fora dele.
Teria sido o treinador do SLB, de quem confessou ser simpatizante, se o Engº Abílio Rodrigues tem sido eleito, em vez do vigarista.
Teve o azar de ser contratado por um presidente "visconde" inculto,boçal,sem
ponta de formação, que o humilhou com o único despedimento da sua (já na altura!)longa carreira.

Anónimo disse...

“O Sporting alugou-me um apartamento na zona de Carnide. Era um 9º andar. Mas, das varandas, o que via eu? Nada mais, nada menos, o Estádio da Luz. Senti-me logo agradado com a atmosfera portuguesa. O Estádio da Luz era conhecido no mundo inteiro. Não podia sentir-me estranho à magia que o envolvia. Para mais, entre os portugueses, o meu clube era o Benfica.
O pagamento dos meus honorários era protelado todos os dias. Eu estava preparado para deixar o Sporting e reorganizar a minha vida. Estávamos em 1993 e tornava-se-me particularmente doloroso olhar o Estádio da Luz e pensar Eis o clube onde devia estar, o Glorioso Benfica, aquele que sempre admirei”.

Sir Bobby Robson, numa entrevista dada ao Jornal "A Bola".

Mário disse...

Eu também moro em Carnide, mas num rés do chão, bem pertinho da nova Luz. Talvez por motivos ecológicos, a luz brilha menos e os clientes desse magnífico campo de futebol passam à minha janela com um cachecol enrolado debaixo do braço, a lamentarem-se não sei bem do quê. Como a luz tem sido fraca, este ano compraram estrelas, dizem que para uma iluminação natural. Esperemos para ver se não é desta que haverá um apagão total!
A minha homenagem a Bobby Robson, treinador de classe e que deixa saudades.
A minha homenagem ao criador do blog Ponta da Lança por mais um aniversário, pelo rigor e pela temática aqui debatida.

JMFeijão disse...

Um grande abraço amigo Mário

Anónimo disse...

Mário

Meu caro, já tivemos um curto-circuito.
Em conluio os nossos rivais (ou inimigos...?!) tentaram levar-nos ao apagão e quase o conseguiram.
Vamos acreditar, antes de tudo,em que o JJ e o RC conseguem construir e blindar uma equipa.
Vamos acreditar que "a estrutura e boa organização" - o Dr. Dias da Cunha, deu-lhe outro nome - tentar alcançar o título máximo.
Não irá ser fácil, pelas amostras contra o Atlético de Madrid, o Southampton e o Vitória de Guimarães...


- P.S. -
Apesar de todo o investimento no SLB, só consigo ver anormalidade no valor da tranferência de um jogador mediano como é o Cissoko

Anónimo disse...

...nos deixe tentar alcançar o título máximo.
E já agora acrescento mais uma 'excelente' arbitragem, contra o Olhanense