sábado, 18 de julho de 2009

Explicações em falta

Não consigo deixar de pensar em certas coisas que não são explicadas:
  1. Há uns anos, logo após a transferência de Ronaldo, o Sporting anunciou um protocolo com o Manchester United em que beneficiaria de privilégios em eventuais empréstimos de jogadores. Até hoje nem ar disso e este ano já seguiu Possebon para Braga e agora Manucho para o Valladolid, quando os leões andam à procura de um avançado. Para que se assinam estes documentos? Mais valia não se falar nisso...
  2. Também aquando da transferência de Simão para o Atlético de Madrid se falou que para além do encaixe financeiro o Benfica ficaria ainda credor de dois jogadores a acordar, para futuras transferências.
    Este ano anda a discutir-se Reyes há meses. Porque é que não exercem este direito e em vez de 2 aceita-se este jogador e fica tudo resolvido?

Ou será que ambas as situações não passaram de publicidade enganosa para calar a boca aos sócios?...

5 comentários:

Nuno Rocha disse...

Axo que a maioria do pessoal não percebeu o negócio do Simão...o benfica não ficou com direito sobre 2 jogadores do Atlético...Fico com DIREITO DE PREFERENCIA sobre dois jogadores à escolha!

Saudações

Anónimo disse...

Truques meu amigo São truques
Na hora o Zé não barafusta e depóis o tempo fás esquecer,e o Zé lá vai continuando todo contetente pagando e não Bufa

Anónimo disse...

Nesse negócio do Simão, o Benfica ficou foi com o direito de empréstimo por uma época de um jogador do Atlético.. Qe foi o qe sucedeu com o Reyes.

E o Protocolo qe o Sporting tinha com Man. Utd. já não existe..

JMFeijão disse...

Não era direito de empréstimo, mas sim direito na compra.
Esta pergunta foi feita a LFV na SIC durante a campanha eleitoral para esta eleição e ficou sem resposta pelo então candidato e agora presidente que habilmente conseguiu dar a volta ao texto.

Sobre o protocolo SCP x ManUtd, tanta pompa na assinatura e nenhuma explicação posterior???

dezazucr disse...

"publicidade enganosa para calar a boca aos sócios". Obviamente.